Estrada da noite - Joe Hill


Fala galera! Tudo certo por aí?
Hoje vim trazer mais uma resenha pra vocês! Mas antes de falar sobre ela, devo confessar que estou muito orgulhosa de mim mesma. Estou conseguindo me disciplinar na leitura. Sério, vocês não sabiam como eu era desorganizada e, posso dizer, fora de foco. Tipo quando você tem que fazer algo e fica mexendo em um milhão de outras coisas ao mesmo tempo. E quer saber? Não tenho sentido tanta falta de ficar em redes sociais ou até mesmo pendurada no notebook. Não só por trabalhar em frente a uma tela gigante o dia inteiro, mas por simplesmente achar coisas mais interessantes para fazer. 
Bem, chega de enrolação e vamos à resenha.
Antes de mais nada, vou apresentar a vocês o autor. Não sei se já conhecem, mas Joe Hill lançou seu primeiro livro, que é o que vai ser resenhado hoje, em 2007 e logo de cara entrou pra lista de mais vendidos do New York Times. E não é pra menos, afinal, Joe Hill é nada mais nada menos que filho de Stephen King. Mas isso não quer dizer que ele viva à sombra de seu pai, que é uma coisa que fica bem clara em Estrada da Noite.


Esse livro é um romance de terror que inicia-se de uma forma no mínimo estranha, afinal, não é em todo livro que você vê alguém comprando um fantasma. Tá, vamos do início. O livro conta a história de Judas Coyne, ou Jude, ou Justin, como preferir, afinal, ele é um astro do rock e esse pessoal costuma ter um nome artístico, um apelido e o nome verdadeiro, até que você se confunda a ponto de não saber qual é o certo. Pois bem, Jude é um "roqueiro" que pode ser considerado em fim de carreira, já que sua banda se foi, dois integrantes mortos e o outro acabou saindo, até porque, tragédias assim acabam abalando uma banda. Ele tem um gosto peculiar para objetos colecionáveis, como um crânio perfurado de um camponês, uma carta de confissão de uma bruxa, nesse nível (confesso que me lembrou vagamente a coleção sobre filmes de terror do Kirk Hammet, guitarrista do Metallica). 
Certo dia, Danny, seu assessor, o qual às vezes não estava disposto a encarar, recebeu na caixa de email de Jude a oferta de um leilão de um fantasma. No início não entenderam como iam comprar um fantasma, mas no corpo do anúncio falava algo sobre receber algo físico, que representasse o tal fantasma. Até aí, tudo bem, chegava a ser algo até cômico, principalmente quando Jude resolve arrematar o fantasma por 1.000 dólares. Que é quando a história começa de verdade.


Jude, como um bom astro do rock, sempre esteve rodeado de mulheres, mesmo nos seus 50 e tantos anos, mulheres se atiravam aos seus pés. Dessa vez estava com Marybeth, a quem chamava de Geórgia, uma mania que tinha com todas as suas companheiras, chama-las pelo nome do estado de onde vieram. Pois bem, voltemos à história do fantasma. Um tempo depois de arrematar o tal item inusitado, Jude recebe uma caixa em forma de coração com um paletó dentro, que seria o objeto que representa o fantasma. A partir daí Jude não tem mais sossego. E infelizmente é o máximo de detalhamento da história que posso dar a vocês. 
O que acontece a partir do momento que Jude e Marybeth recebem o paletó é totalmente intenso. Joe Hill consegue fazer uma narrativa incrivelmente fluída, que te deixa com cada vez mais vontade de imergir na história. Confesso que tinham dias que tive que me forçar para parar de ler, afinal acordaria cedo no dia seguinte para trabalhar. O livro é todo movimentado, nos jogando em uma jornada que você realmente não tem noção do que vai acontecer em seguida. Numa hora você acha que as coisas estão começando a ir bem e no momento seguinte, tudo desanda de novo. Ele nos conta histórias de personagens diferentes, que de alguma forma acaba ajudando Jude em certas coisas e nos ajuda a conhecer melhor quem está envolvido com ele. Hill conseguiu me fazer sentir medo, nervoso, repulsa, uma sorte de sentimentos que um livro do gênero pode ter fazer sentir. Não digo todos porque estaria falando besteira, mas vou dizer pra vocês, inclusive, que quase chorei em uma certa passagem do livro.


Como eu disse, Joe Hill definitivamente não fica à sombra de seu pai, tanto que já vem sendo considerado o novo mestre do suspense e terror. 
Mesmo com poucos livros lançados e ainda estar no início de sua carreira, Joe já teve um de seus livros adaptados para o cinema, o título Horns, que já foi traduzido no Brasil como O Pacto e Amaldiçoado, esse último fazendo mais sentido, pois não tem nem menção de pacto na história inteira. O filme é protagonizado por Daniel Radcliffe. É um filme legal, não tem nada de terror, muito menos suspense, mas é uma história bacana e me fez ter vontade de ler o livro.
-----------------------------------------------------------------------------------------

Então é isso minha gente, o que acharam da resenha? Já leram algum livro do Joe Hill? Já assistiu Horns? Diz aí nos comentários e não esquece que dá pra comentar pelo Facebook também hein!

Me encontre nas redes sociais
Compartilhar no Google Plus

Juliara Vasconcelos

Geek por hábito, nerd porque me chamam. Gosta de jogar, mas é noob, adora assistir filmes mas odeia filmes de dramalhão e tem medo dos de terror. Lê fantasia, ficção científica e terror, que é sua maior divergência. Não tem nenhuma saga preferida, porque ainda não leu Senhor do Anéis. (Isso mudará em breve)

    Comentários

14 pessoas já comentaram:

  1. Eu adoro esse livro, é um dos meus favoritos!
    A história marcou na memória até hoje.
    Falta sair o filme, que nunca desempaca. /:
    Beijos Ju!
    4sphyxi4.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adorei a história, mesmo sendo um pouco doida, mas me surpreendeu em muitas coisas.
      O dia que o filme sair, vou tentar até assistir no cinema!
      Beijo Jaque! Obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Oie
    Confesso que nunca ouvi falar, por isso gostei mais ainda da resenha kkk
    A história tem uma vibe que gosto muito ;p
    Beijinhoss Screepeer
    http://screepeer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ágatha! Que bom que curtiu a resenha!
      Espero que goste do livro quando ler!
      Beijos e obrigada pela visita!

      Excluir
  3. Oi Juliara,
    Sou mto fã do King e tenho curiosidade de ler algo do Joe Hill desde que descobri que eles eram pai e filho.
    Pior que já tenho Estrada da Noite há um tempo, mas sempre acabo protelando a leitura.
    Adoro quando os autores consegue fazer o leitor passar por uma montanha russa de sentimentos.
    Enfim, vou ver se consigo ler ainda esse ano.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alê!
      Leia sim! É uma história diferente e o Joe aprendeu muito bem com o pai dele.
      Obrigada pela visita!

      Excluir
  4. Olá Juliara!
    Depois que você colocou no grupo BG no Facebook eu tinha que vir aqui e ver o que você achou desse "terror light", hahaha.
    Antes de ler A Estrada da Noite eu li um conto do Joe com o Stephen, que se chama A Tribo. Assim que terminei, eu tive que procurar um livro. É um conto magnífico, mesmo, muito bom.
    Achei A Estrada da Noite muito intensa e toda sorte de sentimentos invade a nossa cabeça mesmo, sem dó nem piedade. O Joe Hill fez um ótimo trabalho.
    Além desse livro, li também O Pacto, que foi adaptado pra TV. É um outro livro muuito bom, e que achei a história um pouco mais light, graças a Deus, porque duas pancadas de uma vez do Joe, em seguida, não ia ler tão cedo qualquer outro livro.
    Comecei a ler Nosferatu, um livro recente dele e que promete. Assim que eu terminar, falo um pouco sobre ele.
    Abraços!!!
    Blog Saphy | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Divana!
      Estrada da noite por enquanto foi o único livro que eu li do Joe, mas pretendo ler Amaldiçoado logo, apesar de ter achado a história, pelo filme, um tanto fraca.
      Vou procurar esse conto que você falou, ainda não conheço.
      Abraços e obrigada pela visita!

      Excluir
  5. Adorei a resenha! Estou pensando em incluir esse livro na minha lista de desejos.
    Obrigada pela dica!


    SUA ESTANTE
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tati!
      Inclua sim! Espero que goste do livro tanto quanto eu!
      Obrigada pela visita!

      Excluir
  6. Já ouvir falar super bem da escrita do Joe, mas esse tipo de livro não faz muito meu tipo, apesar que esse me deixou um pouco curiosa sobre.

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se algum dia você resolver dar uma chance, de ao Joe. A escrita é leve e fácil de gostar.
      Obrigada pela visita!

      Excluir
  7. Eu pulei o post mais recente pra vir comentar nesse pq eu simplesmente AMO esse livro <3 E vou te dizer, com todo o respeito que devemos ao tio King, o Joe lacra! Eu gosto muito do jeito dele de desenvolver as histórias, não fica aquela coisa chata de enrolação, ele descreve as cenas muito bem sem precisar contar quantos grãos de areia estão presos na sola do sapato do personagem principal. Enfim, ele é ótimo e eu indico esse livro sempre pra todo mundo!
    Besos, adorei a resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, vou te falar, ainda li bem pouco de King, mais precisamente apenas um livro, e digo que eu também gostei mais do Joe hahaha. Aprendeu bem demais esse menino hahaha.
      Muito obrigada pela visita!

      Excluir

Obrigada por ler e comentar!
Se comentar em anônimo, deixe seu nome!
Comentários ao estilo spam não serão aceitos, então só comente se realmente leu o post! Obrigada pela compreensão ♥